Apr 19, 2017
Por Que A Proteção Contra Incêndios De Gás Inerte É Segura Para As Pessoas?
Compreendendo os efeitos da exposição a gases inertes após a descarga de um sistema de incêndio
Por Que A Proteção Contra Incêndios De Gás Inerte É Segura Para As Pessoas?

Ao avaliar sistemas de proteção contra incêndios, é útil levar em consideração como a exposição a um agente extintor afeta as pessoas. No caso de um incêndio, é essencial que as pessoas evacuem a zona de incêndio imediatamente. Contudo, é possível que algumas pessoas não tenham sido capazes de evacuar a sala e podem ficar expostas a pequenas quantidades de um agente de supressão. É por isso que um projetista de sistemas precisa entender os efeitos dos agentes específicos nas pessoas. Neste artigo, você aprenderá o que acontece com as pessoas quando ocorre um incêndio em um espaço fechado que é protegido por um sistema de supressão de incêndios de gás inerte.

O que acontece quando um incêndio começa?
As pessoas são alertadas sobre o incêndio através de reconhecimento visual, cheiro de fumaça e/ou um alarme sonoro. Ao mesmo tempo, o sistema de incêndio detecta o incêndio e aciona eletronicamente a liberação de gás inerte. À medida que as pessoas começam a sair da área, o gás inerte percorre as mangueiras de descarga até um coletor e, em seguida, através da tubulação até os bocais onde ele inunda a sala – suprimindo o incêndio em 60 ou 90 segundos da após a detecção inicial do incêndio.

O que são gases inertes?
Gases inertes são uma parte natural da atmosfera que nós respiramos. O ar normal em nosso ambiente é cerca de 20.9% de oxigênio, enquanto o ar restante é composto de gases inertes: nitrogênio (78%) e vestígios de argônio, dióxido de carbono, néon e hélio. * Um agente de supressão de incêndios de gás inerte pode ser 100% de nitrogênio, 100% de argônio ou uma combinação dos dois gases.

O que acontece quando as pessoas respiram um agente de supressão de gás inerte?
Quando as pessoas estão no processo de evacuação de uma sala ameaçada por toxinas liberadas pela combustão, o agente de supressão de gás inerte não as coloca em risco. Em primeiro lugar, as misturas de gases inertes não são reativas. Quando um agente interage com o fogo propriamente dito, não há a formação de subprodutos potencialmente tóxicos. Os gases inertes não são mutagênicos (que alteram o DNA) teratogênicos (que afetam embriões) ou carcinógenos (que causam câncer) e também não têm nenhum efeito no sistema nervoso central.

Em segundo lugar, há evidências de que a liberação precoce de gás inerte realmente aumenta as probabilidades de sobrevivência humana, sem efeitos residuais, quando as pessoas são expostas a toxinas liberadas pela combustão (fumaça, CO, N2O). Elas estão realmente mais seguras com (do que sem) a presença de gases inerte na concentração de projeto usado para extinguir um incêndio.

Consequentemente, não há nenhuma base toxicológica para atrasar as inundações operacionais e os sistemas de gás inerte podem ser ativados imediatamente mesmo na presença de pessoas.

Com uma descarga de gás inerte, as pessoas podem ter efeitos negativos na saúde devido à deficiência de oxigênio?
A supressão de incêndios com gases inertes funciona deslocando o oxigênio, já que um incêndio não consegue se manter quando o nível de oxigênio desce para um valor abaixo de 15%. Os instaladores de sistema medem a área da zona protegida para calcular o volume correto de gás inerte necessário para deslocar o oxigênio para um nível de cerca de 12.5%. Nessa situação, a combustão não consegue se manter e o fogo é eliminado de forma rápida e eficaz. Após as descargas do sistema, um incêndio é normalmente extinto em 60 segundos.

Na natureza, o nível de oxigênio padrão é de 20.9%. Para sustentar funções normais, o intervalo de respiração ideal está entre 19.5% e 23.5%. À medida que o oxigênio é deslocado durante uma descarga do sistema de gás inerte, quando o nível atinge 15%, as pessoas podem ter sensações parecidas com àquelas de um exercício leve – incluindo falta de ar. A um nível de 12.5%, elas podem sentir um aumento na respiração e na frequência cardíaca e algumas pessoas podem sentir uma perda de coordenação. Em alguns casos, pode ocorrer dor de cabeça, que não é grave nem duradoura. Qualquer dor de cabeça é resultado de uma dilatação dos vasos cerebrais, um mecanismo fisiológico desejável na adaptação à hipóxia. ***

Concluindo, as sensações vivenciadas quando os níveis de oxigênio são reduzidos para 12.5% não prejudicam a capacidade dos indivíduos para evacuarem com segurança uma zona de incêndio. É como respirar enquanto caminha por prados de uma montanha alta. E, embora uma pessoa possa sentir uma leve falta de ar e um desconforto temporário, não há nenhum problema residual para pessoas com uma saúde normal causado pela exposição a uma atmosfera de 12.5% de oxigênio.  ***

O sistema de supressão de incêndios de gás inerte fornece o mais alto nível de segurança para as pessoas
Totalmente naturais e comprovados na supressão rápida de incêndios, os sistemas de supressão de incêndios de gás inerte fornecem o mais alto nível de segurança para as pessoas. A Rotarex Firetec acaba de lançar o INEREX®, um conjunto de componentes de sistema de incêndio de gás inerte que – quando montados de acordo com os limites testados, as normas UL 2127 e as especificações descritas na NFPA 2001 – formam um sistema completo de extinção de incêndios de gás inerte indicado pelo UL. Se você quiser mais informações sobre esse sistema avançado e seguro para humanos, entre em contato com um especialista da Rotarex Firetec

* http://sciencing.com/minimum-oxygen-concentration-human-breathing-15546.html
** http://www.geo.hunter.cuny.edu/tbw/wc.notes/1.atmosphere/oxygen_and_human_requirements.htm
*** Um indivíduo com problemas coronários, circulatórios, pulmonares ou outros problemas pode apresentar sintomas dessas doenças o que pode prejudicar a sua capacidade para evacuar uma área de incêndio e/ou causar um problema de saúde residual. 
author
Paul Delecourt
Paul Delecourt
Connect with an Expert
×
Loading

This site uses cookies.

Rotarex uses cookies to ensure a better and easier online experience. Please click here to accept the continued use of these cookies after reading our revised COOKIES POLICY.

Please note, you may continue to use the website even if you do not accept the use of cookies. However, the visitor experience on subsequent visits will be diminished.

Read the full COOKIES POLICY.

Refuse all non essential cookies